Notícias

01 de June, 2020

Parceria prevê R$ 5 milhões em apoio a vulneráveis no Norte

A empresa Evoltz Participações anunciou na última sexta-feira (24) que irá apoiar os povos vulneráveis do território da Calha Norte do Rio Amazonas e na Terra do Meio em Altamira, Pará. Essas populações, fragilizadas por suas condições sociais e econômicas, tendem a sofrer ainda mais nesse momento de avanço do coronavírus pelo país, sobretudo com a lotação dos leitos nas capitais Manaus e Belém, além de outras cidades da região Norte, que passam a contar com a necessidade de iniciativas de auxílios urgentes para evitar que pessoas se exponham à contaminação e piorem ainda mais esse quadro.

De forma a colaborar, a companhia aprovou recentemente um projeto para fortalecer e expandir o programa Origens Brasil, uma rede que conecta esses produtores da Amazônia a empresas e consumidores, buscando valorizar a economia da “floresta em pé” e os povos que vivem dela. O projeto será apoiado com aportes de até R$ 5 milhões a serem realizados pela Norte Brasil Transmissora de Energia, uma sociedade entre a Evoltz e a Eletronorte, em contrapartida a um financiamento recebido do BNDES.

Com base nessa parceria, o programa atua para facilitar o apoio às organizações necessitadas. Parte dos produtores membros da rede encontram-se na região da Calha Norte paraense, que abriga o maior e mais preservado trecho contínuo de floresta do estado, sendo o lar de povos indígenas, quilombolas, ribeirinhos e agricultores familiares que habitam as áreas protegidas do território.

Outra parte encontra-se na Terra do Meio, uma vasta região de florestas localizada na bacia do rio Xingu em Altamira (PA), onde vivem centenas de famílias à margens dos rios e indígenas. A localidade integra um mosaico de áreas protegidas de quase 8,5 milhões de hectares, formando o Corredor Xingu de Diversidade Socioambiental.

Não bastasse a pandemia, estes povos sofrem pressões históricas das atividades ilegais e predatórias em suas terras, situação agravada pela atual crise e governo, que diminuiu a fiscalização de crimes como grilagem, garimpo e desmatamento. Dessa forma, para minimizar os impactos, a empresa destinará um total de R$ 689,5 mil, sendo  R$ 466,5 mil para financiar o plano emergencial da Cooperativa Mista dos Povos e Comunidades Tradicionais da Calha Norte – COOPAFLORA e pouco mais de R$ 223 mil para o plano emergencial da Rede de Cantinas da Terra do Meio, ambos elaborados com apoio do IMAFLORA e ISA, respectivamente, organizações de apoio técnico às organizações locais.

Além da pandemia, povos do Norte sofrem pressões históricas de atividades ilegais e predatórias em suas terras (Antonio Cruz: Agência Brasil)

Parte montante aplicado permitirá a compra de 2.664 cestas básicas com itens de alimentação, higiene pessoal e limpeza para 1.500 famílias, resultando em aproximadamente 12 mil pessoas impactadas na região, que não precisarão se deslocar para as cidades em busca desses itens.

Outra parte da doação irá para apoiar o fomento das atividades agroextrativistas dessas populações, gerando renda (economia da floresta em pé) e permitindo que as famílias permaneçam em suas comunidades, em um contexto em que muitos não conseguem acessar seus benefícios sociais na cidade sem arriscar a contaminação de toda a comunidade.

Voltar